quinta-feira, 23 de junho de 2011

O inverno


Dançam palavras nos meus pensamentos como folhas secas jogadas ao vento. 
 desprendi-me  de tudo o que era velho e que não me servia... tempus fugit,.
O frio fustiga o rosto e no caminho que percorro percebo as belezas daquela manhã fria. 
Não importa o que não foi, fico ruminando em meu inconsciente e deixo que toda a sensação de nostalgia que inverno traz.  
Respiro o ar gélido e penso que na dança da vida sou mais um a procura do par perfeito, que provavelmente não existe, mas que importa, não é a chegada que busco mas o caminho que percorro.
Cada passo, cada sentimento, cada cicatriz faz com que eu seja cada vez mais singular num mundo que cada vez mais torna-se padronizado.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Daquilo que ainda nao sei explicar...


Sobre as sombras do tempo desvela entre o inimaginável, gotas de desejos e sonhos inacabados.
 Sorrio do absurdo que é reencontrar-se com aquelas doces lembranças de um passado que ainda não existiu. Divago sobre o que é o destino que nos coloca em situações por vezes inusitadas, que brinca com nossos sentimentos e revive momentos tão preciosos.  Como pano de fundo permanece o seu olhar doce e profundo, as vezes inconstante como o oceano, e por vezes me pego perdido em sua imensidão, deixo-me guiar por minha intuição, vacilo nos meus passos indecisos, sem saber ao certo o que fazer, e tu apenas sorri e no teu sorriso percebo que é inevitável fugir ...