quinta-feira, 31 de março de 2011

A garota dos bombons


Era uma tarde comum de inverno, e eu caminhava a passos lentos quase arrastado em direção a praça. A vila, era um lugar pequeno e como toda a região do interior sua arquitetura colonial era composta pela praça,a igreja e o salão. O frio e o crepúsculo do dia findando davam ao momento uma imagem bucólica, triste, mas poética, e foi nesse cenário que a conheci: A principio o que me chamou atenção foi sua roupa preta contrastando com a pele alva, a boca vermelha, que avidamente devorava um bombom, a garota tinha um sorriso que aquecia o coração de quem se aproximava. Confesso que me senti atraído pela aquela estranha personagem, quando começamos a conversar meus sentidos se aguçaram e o que ficou daquele momento foi o som doce de sua voz, o olhar inebriante, a pele branca que corava com o frio, e o aroma indescritível do chocolate, Uma sensação deliciosamente absurda! Depois desse dia passamos bons momentos juntos, na maioria das vezes rindo, tínhamos um senso de humor muito semelhante, mas o tempo e a distancia acabaram por nos afastar e da garota do bombom só restou a lembrança daquela fria tarde de inverno, e o desejo ardente do reencontro!

Nenhum comentário:

Postar um comentário