quinta-feira, 31 de março de 2011

A garota dos bombons


Era uma tarde comum de inverno, e eu caminhava a passos lentos quase arrastado em direção a praça. A vila, era um lugar pequeno e como toda a região do interior sua arquitetura colonial era composta pela praça,a igreja e o salão. O frio e o crepúsculo do dia findando davam ao momento uma imagem bucólica, triste, mas poética, e foi nesse cenário que a conheci: A principio o que me chamou atenção foi sua roupa preta contrastando com a pele alva, a boca vermelha, que avidamente devorava um bombom, a garota tinha um sorriso que aquecia o coração de quem se aproximava. Confesso que me senti atraído pela aquela estranha personagem, quando começamos a conversar meus sentidos se aguçaram e o que ficou daquele momento foi o som doce de sua voz, o olhar inebriante, a pele branca que corava com o frio, e o aroma indescritível do chocolate, Uma sensação deliciosamente absurda! Depois desse dia passamos bons momentos juntos, na maioria das vezes rindo, tínhamos um senso de humor muito semelhante, mas o tempo e a distancia acabaram por nos afastar e da garota do bombom só restou a lembrança daquela fria tarde de inverno, e o desejo ardente do reencontro!

quarta-feira, 30 de março de 2011

CATIVAR-SE



Tu és eternamente responsável por aquilo que cativas, assim proferiu uma raposa à um principezinho num tempo longinquo , inacreditavelmente suas palavras ainda fazem-se presente nos dias de hoje, e nas trivialidades do cotidiano encontramos pessoas que nos surpreendem positivamente , era mais uma viagem enfadonha e cansativa, mais de 14 horas no sacolejar constante de um ônibus, na mochila já preparado para ser usado como válvula de escape, um livro, e eis que ao meu lado senta-se uma pessoa de olhar sereno e um sorriso radiante, e foi assim que fui cativado, quando percebi já havia contado minha história de vida, ela a sua, falamos sobre o tempo, sobre a adolescência, sobre educação dos filhos, sobre politica, filosofia, amores não correspondidos, vida profissional, e voltamos a falar sobre o tempo, a conversa começava e perpassava por caminhos hora ingrimes, hora engraçados, outras vezes tristes, mas seguia um fio tênue e constante, e foi assim que em catorze horas de conversa, abandonei o meu livro e ganhei uma amiga pra vida toda! A despeito de tudo o que já foi dito e escrito a raposa novamente volta a cativar o principezinho e vice-versa!

para um amigo


Ah! o tempo passa por vezes tão leve e despreocupado, outras vezes tão denso,pesado e sufocante, ao certo nunca sabemos como será o amanhã, vivemos numa constante espera de nossa parusia. Ontem foi o dia em que eramos crianças despreocupadas com o hoje, engraçado pensar como era simples viver, algumas travessuras, crises existenciais , auto afirmação, e agora José? Diz o poeta, e agora meu amigo te pergunto, o que esperar desses anos que estamos vivendo? Tudo tão veloz, como adaptar-se a linguagem dos sentimentos líquidos? Como nos entender e nos conhecer na era digital, como nos conectar com os outros sem nos desconectar de nós mesmos? Como lidar com os nossos avatares, isso pra não falar no fato de não sermos mais adolescentes onde nos é permitido errar, todavia a vida é boa de mais para sentirmos medo, ódio ou cansaço, não meu caro, o hoje é único e cada dia traz no seu intimo a possibilidade do novo! Por isso aproveite tudo o que o mundo te oferece, receba a vida de braços abertos, tudo é fugaz e passageiro e o que resta no final são as boas lembranças e os momentos que passamos com as pessoas que amamos, nossa vida é uma vigem e o melhor da viagem é o caminho que percorremos e as descobertas que fazemos! Tempus fugit !

terça-feira, 29 de março de 2011

das oportunidades


Nunca perca a oportunidade de:

ler um bom livro,

descobrir um novo caminho,

e carregar-se de bons sentimentos.

o tempo


"O tempo passa,/ Não nos diz nada./ Envelhecemos./ Saibamos, quase maliciosos,/ Sentir-nos ir,/ Tendo as crianças/ Por nossas mestras/ E os olhos cheios/ De natureza..." Alberto Caeiro

liberdade


"Liberdade vem e pousa".

peregrino


peregrinar é descobrir-se livre e indomável, jogar seus sonhos numa mochila e sair de si mesmo em busca do inatingível.

das coisas da vida


Não quero falar de sentimentos turvos, nem de amores não vividos, a vida é pugente e vibrante e somos todos os dias convocados a vive-la intensamente!