sexta-feira, 9 de junho de 2017

Das manhãs de outono

Das manhãs de outono, só quero o beijo gelado da brisa em meu rosto e o encantamento no olhar diante das nuances de suas cores.
Quero sentir o pulsar do sangue quente correndo em minhas veias e o arfar suave da respiração.
Sentir que ainda estou vivo, que as intempéries do tempo não corroeram pedaços da minha alma.
Dissecar as paisagens e experimentar ouvir os sons da vida germinando de dentro para fora.
Regressar ao meu eu primitivo e conceber em mim o desejo ancestral de ser apenas eu mesmo.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Não confunda

 Seu eu pudesse dar um conselho diria apenas, não confunda os sentimentos.
Só vendo claramente aquilo que sentimos e que o outro/a representa verdadeiramente em nossas vidas é que realmente seremos felizes ou pelo menos pararemos de sofrer por projetar e criar expectativas nas pessoas que jamais se tornarão realidade. Porque acredite, é muito frustrante perceber de repente que a pessoa com a qual projetamos sonhos e costuramos na teia da vida um mundo, não passa de uma pálida imagem do que realmente é.

Por isso nunca confunda carência com amor, se você não for capaz de viver sozinho consigo mesmo, acredite, nuca conseguirá partilhar sua vida com outra pessoa. Estará tão ocupado tentando esconder os monstros que te atormentam a vida inteira que quando menos esperar a pessoa que está do seu lado não passara de mais um problema que você não consegue administrar.

Não confunda ser mimado com ser doce, uma pessoa doce, meiga e carinhosa, geralmente é agradável e disponível. Está sempre com uma palavra de carinho ou com o coração cheio de bons sentimentos. Uma pessoa mimada, não consegue ver nada além de seu próprio umbigo, é cega emocionalmente. Não faz nada filantropicamente, todos seus passos são embasados em algum retorno que servirá pra massagear seu ego infantil e imaturo, acostumado a não levar não. Geralmente pessoas assim vão deixando atrás de si um rastro de tristeza, corações partidos, e desilusões, mas elas não se importam, porque amam apenas a si mesmo, e o exercício de misericórdia ( por a miséria do outro em seu coração) nunca passou por sua cabeça, é impossível se colocar no lugar do outro, quando não existe ninguém além de si mesmo.


Não confunda empatia com aceitação, procurar entender o que se passa com o outro, nem sempre significa ser conivente com as atitudes da mesma. É muito importante interpretar os sinais não verbais que as pessoas podem transmitir. E o mais importante de tudo, seja sincero com o outro, sempre, não importa o quão doloroso possa ser, a verdade é o mínimo que o outro espera de você! A vida já é muito dura, não precisamos ficar nos boicotando e ferindo as pessoas gratuitamente. O mundo seria muito mais simples se as pessoas não insistissem em mentir para “não magoar”os outros, se isso realmente funcionasse não viveríamos numa sociedade tão doente.

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Aos desavisados




Ando cansado de tanta hipocrisia... de meios amores, meias amizades, meias verdades.Cansado de dias enfadonhos e olhares melancólicos, gente apática me entedia!
Não estou bem, nunca estive, nem pretendo. Esse incômodo sentimento de instabilidade é que me faz ser justamente quem eu sou!
Incompleto, deslocado, sufocado!
Catador de estrelas, amante das palavras, ruminador de versos. O que nos move? O que te move? O que removes do teu caminho?
Mergulhado na poeira de sentimentos antigos, respiro com certa dificuldade ares de lembranças bucólicas que já não fazem parte da minha realidade.Como um móvel antigo, um objeto de decoração velho que destoa do resto da mobília. É preciso saber a hora de desapegar.
Não quero ouvir velhas desculpas esfarrapadas, nem histórias de enredo pobre, atores de segunda que não me faz rir, nem chorar tão pouco me emociona. Meu tempo tornou-se precioso para desperdiçar com futilidades.Refaço o mesmo caminho de volta, mas a bagagem é outra. As cores do dia estão mais vivas.
Aos desavisados, aviso que
eu estou voltando e não quero nada além da essência.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

A beleza da poesia

Queria poder me liquefazer em palavras,  escorregar pelo papel e me fazer poesia.
Um poema ainda que triste é belo, mas um homem triste é apenas isso!

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Tempestade na primavera

Há dentro de meu peito uma tempestade se armando.  E por mais que tente escondê-la por trás de um sorriso calmo meus olhos insistem em denunciar-me. Núvens negras se aproximam e já é tempo de ressurgir.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Nostálgico pensar



Mais uma vez espremo ideias e tento capturar de algum ponto fugaz aquilo que a memória ignorou ou passou desapercebido por meu consciente. Um rasgo de saudade e nostalgia transgride minha alma e na interface da noite percebo o quanto perdido um homem pode sentir-se.
Não tenho palavras que descrevam essa sensação de vazio ou mesmo de tédio que se instaurou em meu íntimo. Sinto uma vontade quase visceral de sair caminhando noite adentro sem um rumo certo, andar sem motivo visível, tatear o abismo de minhas incompreensões e perceber as fragilidades as quais somos diariamente expostos.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Dos pesares

As vezes pela retina da janela da minha alma percebo algumas nostalgias na madrugada solitária que se evai.Ou no céu cinza que pressupõe um entardecer isolado em minhas desvairadas lembranças, faz com que caminhe despreocupado pelas ruas desertas da cidade.
 Já não me importo com a chuva ou com as estrelas cintilantes que tentam clarear a noite lúgubre que internaliza meu íntimo. É a noite dos pesares, o entardecer da solidão e nada que eu fizer poderá mudar tal realidade. E a realidade só é notada quando sentimos na concretude de nossos dias o quão triste e desoladora pode ser uma lembrança!